Categorias
Novo Testamento

Mateus 9

Depois de ter sido expulso, entrou no barco novamente e voltou pra sua cidade. Os doentes já esperavam por ele do outro lado. Trouxeram um tetraplégico bem perto de Jesus. Ele, percebendo o que era mais importante, disse: “Você tá perdoado, filho”.

Os religiosos já ficaram putos da vida com a atitude de Jesus, pois desconheciam quem ele era e por isso pensavam que não teria moral suficiente com Deus pra dizer uma coisa dessas. Como Jesus sacou no ato a malandragem da galera, retrucou: “Aí cambada… o que é mais fácil? Eu perdoar esse cara por todas as coisas que ele fez na vida ou fazê-lo andar novamente, sem cadeira de rodas? Pra ninguém gritar truco quando eu falo as coisas, vou deixar bem claro pra vocês. Malandro… levanta e volta pro lugar de onde veio!”.

Naquela mesma hora o tetraplégico não apenas se levantou pra sair, como também carregou a cama em que tava deitado. E a galera delirou com o que presenciaram, agradecendo a Deus por ter permitido que Jesus fizesse uma coisa tão louca.

Ainda na busca por pessoas pra completar seu bando, Jesus encontrou um sujeito chamado Mateus, cobrando impostos. Cobradores já não eram populares nesta época.

Mateus resolveu fazer uma festinha pros chegados conhecerem a Jesus e, obviamente, chamou todo tipo de gente que não prestava (seus amigos). Quando os religiosos ficaram sabendo disso, soltaram aquele provérbio clássico, porém herético: “diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.

Jesus sacou que os caras tavam falando merda e comentou: “Quem precisa de médico é quem tá doente. Aprendam de uma vez: quero gente que sinta as dores dos outros… e não sacrifícios estúpidos!”.

Insistindo os religiosos na perturbação, comentaram que os discípulos de Jesus não estavam jejuando. E respondeu Jesus a isso: “Olha cambada, não faz sentido jejuar pro noivo na sua própria festa de casamento! Quando eu vazar fora, aí eles irão jejuar. Relaxem. Não se coloca vinho que acabou de ser feito em cantil de couro velho. O vinho fermenta com o tempo e acaba estourando o cantil. Nem se coloca um remendo de pano novo numa roupa velha, senão fica parecendo festa Junina e termina rasgando mais ainda os trapos que você veste”. E a galera parecia que não tava entendo claramente isso tudo.

Então apareceu um sujeito com um desafio realmente interessante. Dizia ele que a sua filha tinha acabado de morrer, e que acreditava que Jesus tinha o moral de fazer ela voltar. Jesus topou a parada e foi andando pra casa do cara.

Ainda no caminho, uma mulher chegou na miúda por trás, no meio daquela bagunça toda que virava quando Jesus andava na rua; e encostou nele crendo que seria curada de sua menstruação que não parava fazia 12 anos. Quando encostou na roupa dele, ficou curada. E Jesus deu um pulo pra trás, e perguntou: “Opaaaaa! Quem relou em mim?” A mulher então se entregou ao flagrante. Aí Jesus disse o que ela provavelmente não esperava ouvir: “Ei filha… você acreditou que eu podia fazer isso e essa sua convicção é a sua salvação. Fica tranquila!”.

Então Jesus terminou de chegar na casa do cara que tinha a filha morta e já tava um monte de gente urubuzando pra organizar o velório. Ele chegou bagunçando a parada: “Opa gente… deixa eu ir lá dentro acordar a mina“. Todo mundo riu da palhaçada que parecia estar rolando, mas ficou realmente engraçado quando Jesus entrou na casa, pegou a menina pela mão e ela acordou. Putz, ele ficou famoso no país inteiro por causa disso!

Indo embora dali, foi importunado por dois cegos que gritavam “Tenha dó da gente, filho de Davi” (o que indicava que realmente acreditavam que ele era o Cristo prometido láááá atrás nas Escrituras). Então ele parou e perguntou pros caras: “Tão precisando de que, galera?”. E eles responderam: “Pô Jesus, faz uma cirurgia ocular a laser aí na gente!”. Jesus então meteu os dedos nos olhos dos caras e passaram a enxergar na mesma hora. Jesus também disse pros caras ficarem na miúda, sem sair falando pra todo mundo o que havia rolado, mas eram bocudos demais e saíram contando pra todo mundo.

Quando os cegos foram embora, trouxeram um encapetado que também era mudo. Jesus, sem fazer show e sem entrevista com o capeta no microfone, expulsou os demônios e o mudo voltou a falar na mesma hora. A galera que assistia delirava! Diziam que nunca algo desse porte tinha acontecido por ali.

Os religiosos, de invejosos que eram, começaram a espalhar o boato de que Jesus expulsava os capetas porque ele tinha parte com o demo.

Enquanto isso, Jesus intensificava sua turnê pelas cidades próximas, ensinando nos próprios templos dos religiosos que o criticavam. Ele trazia uma mensagem que, embora fosse a mesma coisa, parecia inédita. As melhores novidades que aquele povo já havia ouvido! Também curava as perebas de todos que o procuravam.

Ele sentiu a dor e o sofrimento do povo, que andava sem direção e sem quem pudesse orientá-los.

Então avisou seus discípulos: “Galera… orem pro pai mandar mais gente pra trampar, porque o serviço é muito e poucos são os que realmente querem trabalhar”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Faz a conta aí pra evitar Spam 37 − = 31