Categorias
Novo Testamento

Marcos 6

Vazaram então pro lado de Nazaré, onde havia crescido Jesus. E a galera toda ia junto.

Num sábado qualquer, foi ao templo pra ensinar o povão. E todo mundo se assustava com a profundidade das coisas que ele dizia, pois era diferente dos outros. E se perguntavam como que era possível saber tantas coisas e fazer tantos passes mágicos, pois ele tinha crescido ali e todo mundo conhecia a sua família.

Jesus constatou uma triste realidade. A de que os santos de casa não são valorizados. Acabou nem fazendo grandes coisas na região. Curou uma meia dúzia e só. Ele estava realmente incomodado com a dureza do coração daquelas pessoas.

Indo pelas cidades vizinhas para ensinar, Jesus resolveu então enviar seus discípulos em duplas. E deu pra eles todos os poderes especiais que tinha pra fazer coisas mágicas. Também deu instruções claríssimas sobre como não deveriam cobrar nada das pessoas, mas era pra andarem sempre com o mínimo possível.

Ao chegarem na casa de alguém durante a viagem, Jesus os orientou a dormirem ali todos os dias. E quando não fossem recebidos em alguma cidade, era pra não ficarem tristes nem nada. Deveriam sair dali sem levar nenhum rancor ou tristeza pela experiência que viveram.

Então foram fazer tudo o que haviam sido instruídos a fazer.

Quando o governador Herodes ficou sabendo que Jesus tava fazendo coisas sinistras naquela região, pensou que ele na verdade era João Batista que tinha ressuscitado, pois tinha mandado cortar a cabeça de João pra fazer calar a voz de oposição que ele fazia a seu desejo de dançar mambo na horizontal (se é que você me entende) com a mulher do seu próprio irmão. Como tinha medo de João, deixou ele preso o quanto pode, mas num dia, a filha da mulher que ele desejava fez um pole dance numa festa e o rei ficou bêbado de tesão. Prometeu que daria a ela o que quisesse; e o idiota não havia percebido que era uma armação. Pois ela pediu pra matarem João, cortando a cabeça dele. Só restou então aos discípulos de João enterrarem o corpo e irem contar pra Jesus o que havia rolado.
Jesus disse pra eles descansarem um pouco. E foram pra um lugar mais afastado.

Quando o povão ficou sabendo pra que lado que eles tinham ido, correram pra lá, tendo chegado primeiro que eles. Jesus sentiu pena daquele povo todo e ensinou muitas coisas maneiras. No final do dia, sugeriu aos discípulos oferecerem pelo menos um Miojo pra todo mundo, pra não passarem fome no caminho de volta pra casa. Os discípulos acharam ruim a sugestão de Jesus; e diziam que não tinha dinheiro no mundo que pagasse tanto rango.

Então Jesus perguntou: “O que vocês tem aí na lancheira?”. Responderam eles: “Cinco pães e umas sardinhas”. Mandou então todo mundo sentar na grama, divididos em grupos. Aí Jesus agradeceu ao pai pelo que tinham e começou a repartir. E de maneira mágica, conseguiu repartir o rango com todo mundo. Todo mundo comeu até encher a pança e ainda sobrou comida pra fazer outra festa no dia seguinte. Mais de cinco mil pessoas comeram naquele dia.

Mandou seus discípulos irem embora no barco, enquanto dipensava as pessoas. Os discípulos foram então remando o barco e sofriam com o vento que tava indo na direção contrária. Até que no meio da noite Jesus apareceu fazendo Moon Walk na água. E a galera no barco gritou de medo quando viu aquilo, igual naquelas pegadinhas antigas do Silvio Santos com a menina no elevador. Jesus então chegou bem perto e acalmou a galera, dizendo: “hahaha calma aí gente, sou eu!”. Tendo subido no barco, o vento parou e todo mundo pirou no que viu.

O engraçado é que, embora os seus discípulos tinham visto tantas coisas sinistras, ainda não tinham entendido nada.

Chegando ao outro lado, em Genesaré, o povão já chegou pra receber Jesus. E traziam doentes de tudo quanto é naipe pra ele os curar. E em qualquer lugar que chegava, cuidava das pessoas. Apenas encostando em Jesus, já conseguiam ser curados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Faz a conta aí pra evitar Spam 7 + 3 =