Categorias
Novo Testamento

Marcos 15

Logo pela manhã do dia seguinte os caras que prenderam Jesus resolveram mandar ele pro governador Pilatos.

E Pilatos perguntou na lata: “Ae dom, você é o rei dos Judeus?”. Jesus respondeu: “Você que tá dizendo”. E os crentes começaram a contar um monte de lorotas, mas Jesus nem se preocupava com se defender. Pilatos ficou perturbado com aquilo e pensou em aproveitar que era costume soltar um preso na véspera da Páscoa; e ver se assim conseguiria aliviar o lado de Jesus.

Aí pegou Jesus e um outro preso chamado Barrabás e perguntou pro povão quem eles queriam que fosse solto. E acredita que os pilantras, aos gritos, preferiram que soltassem o outro cara? Parecia até eleição pra deputado, com o povo escolhendo o pior. Então Pilatos perguntou o que deveria fazer com Jesus, e o povão gritava pra mandar matá-lo. E ainda tem gente otária que acredita que a voz do povo é a voz de Deus. Hááá!

Então soltaram o bandido e mandaram Jesus pra apanhar mais. Como os caras eram desgraçados, vestiram Jesus com uma capa, colocaram uma coroa feita com espinhos em sua cabeça e batiam nele com um pedaço de pau. Cuspiam em sua cara e depois se ajoelhavam o chamando de rei. Aí o levaram pra ser crucificado, que era a morte mais cruel e humilhante da época.

Como Jesus já tava só a capa do Batman, fizeram um sujeito chamado Simão (que tava de bobeira passando por ali) carregar a sua cruz. E foram pro lugar chamado “Caveira”, que é onde matavam as pessoas.

Tentaram dar umas cachaças brabas pra ver se aliviava a sua dor, mas Jesus não quis tomar. Então tiraram a roupa dele e tiraram par ou ímpar pra ver quem ia ficar com ela. E o crucificaram pelado, com uma plaquinha em cima da cabeça escrita sua acusação: O REI DOS JUDEUS.

De cada lado de Jesus tinha bandidos que também estavam sendo crucificados. Igualzinho as Escrituras já haviam dito que haveria de acontecer.

Os idiotas de entre o povo passavam e falavam absurdos: “Desce da cruz aí ô palhaço! Você não destrói o templo e levanta ele de novo em três dias? Mostra aí pra gente!”. Os crentes falavam besteira também: “Salvou os outros e não consegue se salvar!”. E até os safados que estavam sendo crucificados ao seu lado falavam besteiras.

Aí o céu começou a ficar escuro. E depois de algumas horas Jesus gritou: “Deus meu! Por que você virou as costas pra mim?”. Os que ouviram isso acharam que ele tava falando com Elias. E deram um pouco de vinagre pra que bebesse com uma esponja presa na ponta de uma vara.

Jesus, dando um grito, respirou pela última vez e morreu.

O véu lá no templo, que fazia separação entre o lugar onde Deus estava e o resto do mundo, se rasgou sozinho de cima pra baixo. E o guarda que viu Jesus morrendo se borrou todo, dizendo: “CARAAAAAAAAAAACA! MATAMOS O FILHO DE DEUS!”.

Tinha muitas mulheres ali assistindo todas estas coisas, inclusive a própria mãe de Jesus.

No final do dia, José de Arimatéia, que era senador e crente de verdade (como é difícil usar estas duas expressões numa mesma frase hoje em dia!), pediu o corpo de Jesus pra ser sepultado. Depois de confirmarem que ele havia morrido, liberaram o serviço funerário.

Então o enrolaram num lençol bem fino e o colocaram num túmulo feito em um buraco numa montanha de pedra, tampando a porta com uma outra pedra bem grande.

E as mulheres assistiram tudo isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Faz a conta aí pra evitar Spam + 77 = 85