Lucas 14

11/03/2013

Em um sábado, quando Jesus comia na casa de um líder religioso, apareceu um sujeito com barriga d’agua. E Jesus aproveitou pra zoar com os crentes dizendo: “Galera... é certo curar alguém no sábado?”. Os caras ficaram quietos com medo de responder. Aí Jesus curou o barrigudinho na hora e disse: “Se seu carro furar um pneu sábado, você vai deixar ele lá até domingo pra então trocar?”. E os caras ficaram putos mas não tinham argumento pra rebater isto.

Vendo Jesus que a galera quando chegava na festa escolhia os melhores lugares pra sentar, disse: “Quando você for rangar na casa de alguém, sente nos piores lugares. Por que se chegar alguém mais importante que você, vai passar vergonha quando o dono da festa mandar você sair pra outro sentar aí. Mas se você sentar lá no fundão, quando o dono da festa chegar, vai te chamar pra mais perto. As coisas no Reino de Deus são assim também. Quem quiser aparecer, vai se ferrar. Quem for humilde, vai se dar bem.”

“Quando você for fazer um churrasco, não chame amigos ou parentes ricos que tenham como retribuir o rango em outra ocasião. Prefira chamar os pobres, aleijados, cegos... aqueles que não tem como retribuir de jeito nenhum. Aí você vai se dar bem com Deus.”

Ouvindo essas coisas, um cara na mesa gritou: “Feliz é quem come pão no Reino dos céus!”

Mas Jesus disse: “Um homem fez uma baita duma festa e mandou chamar várias pessoas. Mas os convidados começaram a dar desculpas de que tinham outras coisas mais importantes pra fazer. Então mandou chamar os pobres, aleijados, cegos e qualquer outro que encontrasse pela rua. E nenhum dos antigos convidados teve o prazer de participar daquela festa.”

E continuou ensinando: “Quem não incomodar sua família e não ficar com a própria vida incomodada, não pode ser meu discípulo. Quem não pegar a sua própria cruz e me seguir, também não serve.”

“Quem vai construir uma casa tem que fazer as contas no começo da obra pra ver se tem dinheiro pra terminar. Por que quem fica sem grana no meio da obra, vira piada entre os vizinhos.”

“Quem vai pra guerra tem que fazer as contas pra saber se tem condição de vencer. Senão é melhor fazer um acordo de paz do que brigar e apanhar.”

“Quem não renuncia a tudo o que tem, não presta pra ser meu discípulo. Sal é bom pra dar tempero nas coisas, mas se não tiver capacidade de dar sabor, não serve pra nada. Tem que ser jogado fora.”

“Prestem bastante atenção nessas coisas que tô falando!”

Ariovaldo Jr - contato@bibliafreestyle.com.br

COMPARTILHE: