João 12

13/03/2013

Estava faltando seis dias para a festa da Passagem quando Jesus foi fazer uma visita a Lázaro e suas irmãs lá em Betânia. Marta preparou uma pamonhada para receber Jesus. Enquanto Jesus estava deitado na rede batendo um papo com seu amigo Lázaro, Maria se posicionou junto aos seus pés e num gesto de amor e devoção pegou um frasco de Channel 5 e derramou todo o conteúdo nos pés dele. E cantarolava um Salmo de adoração enquanto enxugava os pés do seu Ungido com os próprios cabelos.

Judas, o X9, chiou quando viu o gesto de Maria. Ele achava que era um tremendo desperdício de dinheiro. Achava mais justo dar aos pobres, mas o cabra safado queria mesmo era embolsar a grana.

Jesus fixando os olhos em Maria e com um sorriso de gratidão pelo gesto sincero de amor, assentiu com a cabeça concordando com ela e, sem olhar para Judas que havia reclamado, falou: “Ela fez o correto. Fui ungido para o dia da minha morte. Pobre sempre haverá. Não porque meu Pai queira, mas porque o homem é injusto com seu semelhante.”

Faltando cinco dias para festa, o povão que se achegava para a festança soube que Jesus também viria. Então a galera se reuniu para fazer um FlashMob para receber Jesus. Organizaram com ramos de Buriti e encontraram com Jesus que estava num jumentinho, o que é equivalente a um Corsa Sedan 1.0 básico hoje, e cantaram “HOSANA! (tente não cantar como a Nívea Soares, vê se consegue!) “BENDITO É O QUE VEM EM NOME DO SENHOR” “BENDITO É O REI DE ISRAEL”.

Essa parada aconteceu para se cumprir o que as profecias diziam: (agora imagine som de flashback, a imagem se distorcendo e a voz de Cid Moreira falando) “Não tenha medo, ó cidade de Sião; eis que o seu rei vem, montado num jumentinho”.

Enquanto tudo acontecia, os mancuebas dos discípulos não entenderam nadica de nada. Só depois que Jesus foi glorificado é que eles ligaram os pontos.

E então a galera que viu o milagre da ressurreição de Lázaro continuava a bater com a língua nos dentes. Falavam para todo mundo o que viram. Não era de se admirar que Jesus virou atração principal de um tipo mal acabado de Freakshow, e atraiu todo tipo de curioso e gente que de fato desejava saber mais. Só que isso também despertou na crentaiada certa inveja e ciúme.

Alguns gregos convertidos ao judaísmo encontraram Filipe, que era Galileu, e pediram para ter uma audiência com o Mestre. Como Filipe não estava seguro do que fazer, avisou André, e os dois Juntos perguntaram para Jesus se ele receberia os carinhas gregos.

Então Jesus disse aos discípulos:

-“O pedido destes gregos é a confirmação de que chegou a minha hora de morrer. É o tempo de ser lançado como sacrifício por vocês e por eles. A mesma lógica se aplica a vocês meus brothers.” Ele ia dizendo isso enquanto abraçava calorosamente cada um. Ao chegar perto de Pedro ele pôs as mãos nos ombros dele, e como quem quer chamar a atenção para um fato, o segurou firme e disse:

- “É preciso que vocês também morram. O meu caminho é de morte e o de vocês é a morte também, só que de si mesmos” - Então ele soltou os ombros de Pedro e abrindo os braços para dar um abraço coletivo nos discípulos continuou a dizer:

- “Se vocês me amam de verdade vocês farão tudo o que eu fizer. Pois a vida que eu dou é para se tornar um presente, e este presente é a vida eterna. Se vocês fizerem o mesmo meu Pai os honrará”.

Ele soltou os seus amigos e encostando o corpo numa parede próxima desabafou:

“Estou com a cabeça inchada! Tô com coração apertadinho! Mas pensa! O que vou falar para o meu pai” – aí Jesus simulando uma voz solene diz: “Ae Pai quero não, posso não, deixa não! Não dá, né galera? Minha vida é para este fim. Foi para isso que meu Pai me enviou. E por isso que oro sempre dizendo que Seja Glorificado o Seu Nome Pai”.

De repente uma voz vinda do céu, tipo Darth Vader, fala: “Ah Moleque! Você é o meu orgulho! Já Glorifiquei a sua vida e vou fazer isso de novo. Você é a alegria da minha alegria!”

“Ouviram isso?” – disse Jesus aos discípulos: “Ele falou por causa de vocês”.

Jesus disse aos discípulos que havia chegado sua hora e que o Chifrudo seria expulso e Ele (JESUS) quando morresse atrairia pessoas a si. O mestre estava falando assim para dar a dica de como Ele seria morto.

Então o povão vendo e ouvindo tudo isso achou um jeito de encher o saco: “Aí Jesus, a Lei nos ensina que Cristo permanecerá para sempre, e que papo é esse de que ‘você precisa morrer’?”.

Ele respondeu: “Vou dar um conselho de graça: Creiam em mim porque eu sou a luz do mundo. Creiam porque vocês estão vendo os sinais que faço e eles são claros em apontar de quem eu vim e quem eu sou”.

Quando terminou de falar Jesus vazou e os deixou falando sozinhos.

Jesus fez tanto milagre, deu tanto sinal de sua glória, mas o povinho, cegos pela religiosidade continuaram não crendo em seu poder. Isso tudo já estava previsto no roteiro. Basta ver o que o profeta Isaías disse a respeito disso.

Os olhos deles estavam cheios de religiosidade. Ficaram cegos para a graça de Deus. Apesar disso tudo um bom número de gente graúda de dentro do farisaísmo estava crendo em Jesus. Porém como eram todos uns calça-frouxa, uns verdadeiros bunda-moles, resolveram ficar de boca fechada pra manter o emprego e a posição. Comprometer para que, né?

Então Jesus começou a conversar igual ao homem da feira: alto e em bom som. Ele disse: “Vou bater uma real. Presta atenção quem for esperto. Eu vim do Pai. Sei quem ele é e como é. Falo somente o que ele me pediu para falar. Na lógica quem me vê também o vê, porque eu e ele somos um. Não vou criar caso com quem não crê, paciência! A revelação que trago agora é quem vai te julgar no futuro, não eu! O que eu digo é o que o Pai me mandou falar. Se não creu? Créu!”.

Guilherme Burjack - burjack@gmail.com

COMPARTILHE: