Hebreus 9

19/07/2017

A antiga aliança tinha um monte de instruções pra se fazer um culto a Deus em um templo terrestre. Tinha mesa, velas, pães de oferta... tudo isso no lugar que se chamava de santuário. No fundo havia uma cortina grossa que escondia o lugar chamado de "Lugar mais Santo de todos", onde ficavam guardados um porta incenso de ouro, a Arca da Aliança (aquela do Antigo Testamento e do filme Os Caçadores da Arca Perdida), ouro por todo lado, vasos de ouro contendo o maná (o pão que caiu do céu quando estavam peregrinando no deserto), o cajado de Arão (que tinha inclusive nascido flores dela) e as placas da Lei. Em cima da arca tinha uns anjão feroz que faziam sombra com suas asas sobre o lugar da oferta, mas deixa pra falarmos sobre isso outra hora.

Quando todas essas coisas tavam ajeitadas, aí entrava o tal sacerdote lá pra fazer seu serviço. O cara entrava só uma vez ao ano e carregando sangue que apresentava como pagamento pelos pecados seus e de todo o povo. A ideia que o Espírito Santo deixou pra gente é de que o caminho até onde Deus está ainda não estava acessível enquanto houvesse esse templo antigo. O templo não passava de uma ilustração para o tempo atual, onde mesmo que se apresente um monte de coisas como sacrifício, nada será bom o suficiente para aperfeiçoar quem sacrifica. comida, bebida, rituais de purificação, pagar promessas que envolvam esforço físico... tudo isso é coisa velha que serviu naquele tempo.

Mas Cristo veio como sacerdote de como as coisas são daqui pra frente e com um lugar de se apresentar sacrifícios muito superior a qualquer um que o homem pudesse construir. O sangue que ele derramou lá não é de animais, mas o seu próprio... tão eficiente que entrando uma vez só no santuário, pagou todas as dívidas de todos os tempos numa lapada só.

Se o sangue de bichos e as cinzas dos animais queimados significavam a santificação quanto às impurezas da carne, imaginem então o sangue de Cristo o que traz de poder para purificar a consciência de vocês de todas as obras mortas, possibilitando que sirvam ao Deus vivo!

Onde tem "testamento" é necessário que o que o fez morra pra que fique alguma herança. Testamento só tem alguma serventia depois que o sujeito morreu, certo? O Antigo Testamento foi consagrado com o derramamento de sangue de vários bichos, conforme Moisés foi instruído a fazer quando disse que aquele era o sangue do testamento que Deus mandou. O que percebemos claramente é que tudo na lei se purificava com sangue e, sem derramar sangue, não existe perdão de pecado. Aí pra resolver as tretas de uma vez por todas era preciso que a purificação viesse de cima pra baixo, com a oferta de sacrifícios melhores do que os que éramos capazes de fazer.

Cristo não entrou no santuário feito pelos homens (que é apenas uma representação do verdadeiro no céu), mas foi é direto pro que tem realmente valor, pra aparecer pessoalmente diante de Deus e de uma vez só (sem precisar ficar repetindo isso anualmente). Ele não foi com sangue dos outros (como os sacerdotes humanos faziam), mas foi com seu próprios (que é bom o suficiente pra pagar toda dívida definitivamente). Se fosse de outro jeito, Ele teria que ficar morrendo e dando sua vida repetidas vezes desde que o mundo foi criado. Mas no tempo oportuno se apresentou uma vez só, de maneira definitiva, pra aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.

E assim como Deus determinou que os homens morrem só uma vez e depois disso vão para o juízo diante dEle, então Cristo também morreu de uma vez só para tirar os pecados de muitos. Quando ele vier pela segunda vez será visto sem pecado (e não mais na forma humana) aos que o esperam para a salvação.

Por Ariovaldo Jr

COMPARTILHE: