Hebreus 7

17/07/2017

Esse Melquisedeque, que era rei de Salém, era também sacerdote do Deus Altíssimo. Ele que saiu pra encontrar Abraão quando este voltava da guerra com outros reis. E o sercerdote o abençoou, recebendo o dízimo pela primeira vez.

Abraão o identificou como rei de justiça e de Salém (que é de paz). Homem sem pai nem mãe, de genealogia desconhecida e que cujos dias não tem nem começo e nem fim. Ele apontava para Jesus, o Filho de Deus, permanecendo sacerdote para sempre. Considerem como este sujeito era importante, a ponto de Abraão ter dado o dízimo de tudo que ganhou.

Os que são da tribo de Levi receberam como sacerdotes a ordem de (conforme os mandamentos) coletar o dízimo do povo todo (ou seja, de seus irmãos). Vemos os menores sendo abençoados pelos maiores. E quem recolhe os dízimos são homens que morrem, mas em nome daquele eu testemunhamos que vive.

Por causa de Abraão, até mesmo o Levi (que recebe dízimos), teve que pagar dízimos. Isso porque ele ainda estava nas costas do seu pai quando o Melquisedeque veio para encontrá-lo.

Obvimanete que, se a perfeição pudesse ser alcançada pelo sacerdócio levítico (pois foi assim que o povo recebeu o Antigo Testamento), pra que seria preciso que houvesse outro sacerdote, que fosse da linha de Melquisedeque ao invés da linha Arão?

Porque quando muda o sacerdócio, deve haver mudanças também na lei. Este sacerdote então é de uma outra tripo que nunca serviu ao altar, pois Jesus veio da tribo de Judá e não há registro algum de Moisés ter estabelecido alguma espécie de sacerdócio para esta linhagem.

E é louco pensar que se Ele se parece com Melquisedeque, então seu sacerdócio não é por mandamento carnal, mas conforme a virtude da vida incorruptível. Os velhos sacerdotes perdem sua função por causa da fraqueza e inutilidade de seus serviços, face à ordenação de Deus para que Ele seja sacerdote eternamente.

A lei nunca aperfeiçoou nada, por isso se tornou necessária uma melhor esperança para que possamos chegar a Deus. E agora o sacerdócio é conforme juramento e não apenas por tradição. Deus é quem jurou. Desta aliança superior Jesus foi feito fiador. E todos os que receberam sacerdócio no passado, morreram e por isso foram impedidos de continuar no serviço. Mas este que permanece pra sempre tem um sacerdócio eterno.

Por isso ele tem competência pra salvar todos os que chegam a Deus por seu intermédio, dando a sua própria vida para intercedor por causa um de nós. Era exatamente o que precisávamos, de um sacerdote santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e mais maravilhoso do que os céus. E que não necessitasse ficar fazendo sacrifícios todos dias (como era antigamente) nem pelos seus próprios pecados e depois dos outros... Mas de uma vez só deu a si mesmo como sacrifício.

Os mandamentos instituíram sacerdotes que eram homens fracos, mas o juramento de Deus (que veio depois da Lei), colocou o Filho nesta posição, perfeito para sempre.

Por Ariovaldo Jr

COMPARTILHE: