Atos 4

25/03/2013

Enquanto estavam ainda falando ao povo, já apareceram os que eram donos da religião da época. Tavam com tanta dor-de-cotovelo que mandaram prender os que ensinavam até o dia seguinte, mas mesmo assim quase cinco mil pessoas que os ouviram passaram a crer na ressurreição dos mortos em Jesus Cristo.

No dia seguinte tiraram os discípulos da cadeia e os colocaram pra serem interrogados numa espécie de tribunal religioso. E perguntavam de onde vinha esse poder que eles usavam pra fazer milagres tão espetaculares. Pedro então se levantou e inspirado pelo Espírito Santo começou a explicar:

"E aí galera gente boa, autoridades presentes. Vossas santidades nos prenderam e agora nos interrogam pra saberem como foi que curamos um homem doente. Pois não vou enrolar, irei direto no assunto. Foi pela autoridade do nome de Jesus Cristo que este homem foi curado. O mesmo Jesus que vocês mandaram matar e que Deus ressuscitou. Vocês deprezaram Jesus por que ele não se encaixava no sistema religioso, mas Ele é pedra principal do caminho que o homem deve percorrer pra ser salvo. E saibam que ninguém no mundo pode salvar a não ser ele!"

Diante dessa resposta (que foi suave como uma voadora com os dois pés no meio do peito), os religiosos ficaram assustados. Afinal os discípulos eram gente sem estudo, que nem deveria saber coordenar as ideias direito. Aí deram ordens explícitas para que eles não ensinassem mais nada no nome de Jesus. Mas Pedro e João respoderam: "Se Deus manda a gente falar, acham mesmo que devemos obedecer vocês ao invés de Deus? Nem ferrando, dom! Vamos continuar falando o que vimos e ouvimos."

Depois de serem mais ameaçados, foram soltos porque os religiosos temiam o povo. O que tinha sido curado tinha mais de 40 anos (o que pra época já era bem velho), então o milagre era bem surpreendente.

Ao saírem da prisão foram contar pros outros discípulos o que haviam ouvido e a bronca que tomaram dos defensores do velho sistema religioso. E reafirmaram diante de Deus que queriam ser testemunhas que não se calariam por pressões de quem não tem nada a ver com as coisas de Deus. E mais do Espírito Santo era percebido no meio deles.

O coração e a alma daquele povo era como se fosse um só. Ninguém dizia que alguma coisa que possuía era sua apenas, mas tudo era pra comunidade e pra uso de todos. Os apóstolos falavam da ressurreição de Jesus com tanta ousadia e poder, que não faltava Graça na vida de ninguém.

Também não havia ninguém necessitado naquela comunidade, porque a Igreja tinha tanta credibilidade no meio do povo, que as pessoas preferiam vender o que tinham e colocar na roda pros apóstolos administrarem do que eles mesmos administrarem o que era seu por direito. Essa comunidade era tão justa e ética, que não deixava ninguém passando necessidade alguma, mas ia repartindo à medida que as necessidades apareciam.

E aí aconteceu uma coisa interessante. Um cara apelidado de Barnabé vendeu um terreno e colocou o dinheiro na Igreja, pra ser administrado em conjunto. E sabe o que aconteceu? Não perca o próximo capítulo!

Ariovaldo Jr - contato@bibliafreestyle.com.br

COMPARTILHE: